Site Overlay

Facebook

Facebook, empresa americana que oferece serviços de redes sociais online. O Facebook foi fundado em 2004 por Mark Zuckerberg, Eduardo Saverin, Dustin Moskovitz e Chris Hughes e, todos os estudantes da Universidade de Harvard.

O Facebook se tornou a maior rede social do mundo, com mais de um bilhão de usuários em 2012, e cerca de metade desse número estava usando o Facebook todos os dias.

O Facebook

A sede da empresa fica em Menlo Park, Califórnia.

Facebook - rede social online

O acesso ao Facebook é gratuito e a empresa ganha a maior parte de seu dinheiro com anúncios e publicidade direcionada na página da rede.

Novos usuários podem criar perfis, fazer upload de fotos, ingressar em um grupo preexistente e iniciar novos grupos.

A plataforma do Facebook possui muitos recursos online, incluindo a:

Linha do tempo, um espaço na página de perfil de cada usuário, onde os usuários podem postar seu conteúdo e amigos podem postar mensagens;

Status, que permite aos usuários alertar amigos para sua localização ou situação atual, e;

Feed de notícias, que informa os usuários sobre alterações nos perfis e status de seus amigos.

Os usuários também podem conversar e enviar mensagens privadas com o Messeger e o Facebook Mail.

Os usuários conseguem ainda sinalizar sua aprovação de conteúdo no Facebook com o botão Curtir que ajuda com seis opções de reação, é um recurso que também aparece em muitos outros sites.

A atratividade do Facebook decorre, em parte, da insistência do cofundador Zuckerberg desde o início de que os membros sejam transparentes sobre quem são; os usuários são proibidos de adotar identidades falsas.

A direção do Facebook argumenta que a transparência é necessária para formar relacionamentos pessoais, compartilhar idéias e informações e formar a sociedade como um todo.

Também é fácil para os usuários usar o botão de compartilhamento de conteúdo para criar conectividade entre os usuários da rede social e torna mais fácil também para as empresas conectar seus produtos e serviços com os consumidores.

História do Facebook

História do Facebook

O Face tem uma história inicial complicada. Tudo começou na Universidade de Harvard em 2003 como Facemash, um serviço online para os alunos julgarem a atratividade de seus colegas.

Como desenvolvedor principal, Zuckerberg, violou a política da universidade na aquisição de recursos para o serviço, ele foi encerrado após dois dias.

Apesar de sua existência de mosca no pirão, 450 pessoas ( que votaram 22.000 vezes ) se reuniram no Facemash. Esse sucesso levou Zuckerberg a registrar a URL http://www.thefacebook.com em janeiro de 2004.

Zuckerberg criou uma nova rede social naquele endereço com os colegas Saverin, Moskovitz e Hughes.

Em 2004 no mês de Fevereiro, a rede social TheFacebook.com foi lançada.

Os estudantes de Harvard que se inscreveram no serviço puderam postar fotos de si mesmos e informações pessoais sobre suas vidas, como horários de aulas e clubes a que pertenciam.

Sua popularidade aumentou e logo estudantes de outras escolas de prestígio, como as universidades de Yale e Stanford, foram admitidos na rede social.

Em junho de 2004, mais de 250.000 estudantes de 34 escolas haviam se matriculado e, no mesmo ano, grandes empresas, como a empresa de cartão de crédito MasterCard, começaram a pagar pela exposição no site.

Em setembro de 2004, o TheFacebook adicionou o Mural ao perfil online de um membro. Esse recurso amplamente usado permite que os amigos de um usuário publiquem informações em seu Mural e se tornem um elemento-chave no aspecto social da rede.

No final de 2004, o TheFacebook havia alcançado um milhão de usuários ativos. No entanto, a empresa ainda seguia a então principal rede social online, o Myspace, que contava com cinco milhões de membros.

Em 2005 a ideia provou ser essencial para se tornar uma grande empresa. Tornou-se simplesmente o Facebook e introduziu a idéia de “marcar” as pessoas nas fotos postadas no site.

Usando tags, as pessoas se identificaram e outras em imagens que podiam ser vistas por outros amigos do Facebook. A plataforma social também permitiu que os usuários enviassem um número ilimitado de fotos.

No mesmo ano de 2005, estudantes do ensino médio e estudantes de universidades fora dos Estados Unidos foram autorizados a participar do serviço. No final do ano, tinha seis milhões de usuários ativos mensais.

Em 2006, o Facebook abriu a associação além dos estudantes para qualquer pessoa com mais de 13 anos. Como Zuckerberg havia previsto, os anunciantes conseguiram criar relacionamentos novos e eficazes com os clientes.

Por exemplo, naquele ano, a Procter & Gamble, fabricante de produtos para o lar, atraiu 14.000 pessoas para um esforço promocional “expressando afinidade” com um produto para clarear os dentes.

Esse tipo de envolvimento direto do consumidor em escala tão grande não era possível antes do Facebook, e mais empresas começaram a usar a rede social para marketing e publicidade.

A privacidade continua sendo um problema contínuo para o Facebook. Ele se tornou um problema sério para a empresa em 2006, quando introduziu o Feed de Notícias, que consistia em todas as alterações que os amigos de um usuário fizeram em suas páginas.

Após muitas reclamações dos usuários, o Facebook implementou rapidamente controles de privacidade nos quais os usuários podiam controlar o conteúdo exibido no Feed de notícias.

Em 2007, o Facebook lançou um serviço de curta duração chamado Sinalizador que permite que os amigos dos membros vejam quais produtos eles compraram das empresas participantes.

Ele falhou porque os membros sentiram que ele invadiu sua privacidade.

De fato, uma pesquisa com consumidores em 2010 colocou o Facebook entre os 5% inferiores das empresas em satisfação do cliente, em grande parte devido a preocupações com a privacidade, e a empresa continua sendo criticada pela complexidade de seus controles de privacidade do usuário e pelas frequentes mudanças que faz neles.

Em 2008, o Facebook superou o Myspace como o site de mídia social mais visitado.

Com a introdução do Live Feed, a empresa também deu um salto competitivo com a crescente popularidade do Twitter, uma rede social que exibe um feed ao vivo de posts semelhantes a serviços de notícias de membros a quem um usuário segue.

Semelhante ao fluxo contínuo de postagens de usuários do Twitter, o Live Feed enviava postagens de amigos automaticamente para a página inicial de um membro. ( O Live Feed foi incorporado ao News Feed. )

Por ter um potencial tremendo, logo o Facebook se tornou uma ferramenta poderosa para movimentos políticos, começando com a eleição presidencial dos EUA em 2008, quando mais de 1.000 grupos do Facebook foram formados em apoio ao candidato democrata Barack Obama ou do republicano John McCain.

Na Colômbia, o serviço foi usado para reunir centenas de milhares em protestos contra a rebelião de guerrilha antigovernamental das Farc.

No Egito, ativistas protestam contra o governo de Pres. Hosni Mubarak durante a revolta de 2011, e muitas vezes tem se organizado grupos no Facebook.

O Facebook incentiva desenvolvedores de software de terceiros a usar o serviço.

Em 2006, lançou sua interface de programação de aplicativos ( API ) para que os programadores pudessem escrever software que os membros do Facebook pudessem usar diretamente através do serviço.

Em 2009, os desenvolvedores geraram cerca de US$ 500 milhões em receita para si mesmos através do Facebook. A empresa também obtém receita dos desenvolvedores por meio de pagamentos por produtos virtuais ou digitais vendidos por aplicativos de terceiros.

Até 2011, os pagamentos de uma dessas empresas, A Zynga Inc., desenvolvedora de jogos online, respondeu por 12% da receita da empresa.

IPO do Facebook

Em 2012 no mês de fevereiro, o Facebook entrou para se tornar uma empresa pública.

Esta oferta pública inicial ( IPO ) em maio levantou US$ 16 bilhões, dando a ele um valor de mercado de US$ 102,4 bilhões.

Por outro lado, o maior IPO de uma empresa de Internet até o momento foi o da empresa de mecanismos de busca Google Inc., que havia captado US$ 1,9 bilhão quando foi aberta em 2004.

No final do primeiro dia de negociação das ações, as participações de Zuckerberg foram estimados em mais de US$ 19 bilhões.

Últimas Noticias sobre Facebook